10 maio 2007

Haiku OS

Haiku OS! Nop, não é outra distro de GNU/Linux!! Este SO também conhecido por OpenBeOS, ainda vai dar que falar! Foi criado após a venda do antigo BeOS em 2001.







Haiku is based on the source code of the NewOS kernel, which was also written by a former Be, Inc. developer. The project primary goal is to create an OS from the ground up that is source and binary compatible with BeOS 5.0.3, the last release from Be. Currently the OS is in pre-alpha state, but is quite stable and already supports many BeOS applications.

The main features for those not familiar with BeOS or Haiku are: a pure micro-kernel that’s only around 800KB, 64bit journaled filesystem (BFS/OpenBFS), native GUI, partial POSIX compliance with UNIX-style shell provided by BASH, entire OS streamlined for creation and editing of digital media, and many more feature to numerous to list here. Currently Haiku does not ship with many prepacked applications, mostly because they are still working on stability, rather than just loading it with goodies.


Links: Download, Homepage, Screencast, Fonte

7 comentários:

o reactos e capaz de dar mais que falar..

sem tirar nenhum merito ao projecto: nao tem mercado!

Claro que vai da que falar, bem já deu. O BeOS acho que era uma re-incarnação do Next, ou de um projecto que houve dentro da Next, ou seja, tem o dedo do Jobs. Não é por nada que muitos dos developers do BeOS voltaram para a Apple quando a Be foi comprada e alguns foram para o Google.

Ainda me lembro de brincar com um BeOs que veio numa revista Bit, mas das primeiras.

Assisti uma palestra sobre o Haiku este ano no FISL 8.0 feita por uma pessoa que trabalha no Google. Não sei, mas saí da palestra com uma impressão de estar vendo o GoogleOS...

Quase de certeza que vai ser adoptado pelo Google...
:)

Vejam o video de apresentação no site.ht

Eu quase que tenho a certeza que o ReactOs vai dar que falar!
Mas se o Haiku tem o dedo de pessoal ligado ao Next e possivelmente pessoal da casa da Maçã, quando esta ainda estava a crescer, então a história é outra... Além disso parece que a Google poderá meter também a mão no S.O... se o Haiku der que falar, vai ser em grande... senão vai ser apenas mais um BeOs, um S.O. que vai acabar por morrer lentamente...

O pior é mesmo o nome.
A língua portuguesa é traiçoeira.
Apenas um pequeno pormenor:
-Repararam bem no processador?
Um Pentium II 1.6 GHz!
Wow!
Isto é que é overclocking!

Acho que o Marco confundiu um pouco as coisas.

O responsável pela Be, empresa produtora do BeOS original, era Jean-Louis Gasset, ex-funcionário da Apple.

Pouco antes do retorno de Jobs a Apple vivia a sua pior crise e estava já há algum tempo tentando desenvolver um novo sistema operacional, o Projeto Copland.

http://lowendmac.com/orchard/05/1108.html

Mas havia também a possibilidade da aquisição do sistema de uma outra empresa e um dos candidatos mais cotados para isso era justamente o BeOS.

Bem com retorno de Jobs aconteceu a compra da Next, portanto do Next OS e essa foi a principal origem do atual Mac OSX.

O resto é a história que todos já conhece.

Abraço,

ASF
http://antoniofonseca.wordpress.com