05 abril 2008

Coisas com que eu embirro

Há coisas com que eu realmente embirro. Não sei se com os meus caríssimos leitores acontece o mesmo (isto de "caríssimos" é apenas para engraxar...). Referi-mo por exemplo a deslocar-me num passeio e encontrar um veículo estacionado em cima dele de modo a obrigar os peões a contorná-lo pela estrada. Porra, o passeio é para os peões e a estrada é para os carros! Eu nestes casos passo literalmente por cima do carro, completamente me borrifando se ele fica riscado ou algo do género. Mas garanto que não ficam iguais a antes de eu ter passado por eles. Deixo aqui um leve exemplo de milhares de casos que acontecem diariamente em Lisboa:

Estacionamento ilegal

Eu conduzo todo o dia por Lisboa, estaciono várias vezes por dia, algumas vezes "fora da lei", mas NUNCA ocupo o espaço reservado aos peões! Isso é sagrado e eu até sou ateu!

Pior que isso para me deixar ainda mais fodido é andar a testar live-cds num PC, e após testar tres distros que se recusaram a arrancar por várias razões (Opensuse 10.3, Edubuntu e Ubuntu) há aquela que deteta tudo lindamente e até diagnostica durante o arranque problemas no hardware, e quando chega ao ecran de login pede-me um user e password que não faço a puta da ideia quais são, nem tenho net para pesquisar isso! Refiro-me ao Debian na versão LiveCd. Mais tarde fui pesquisar por possíveis usernames e respectivas passwords e encontrei algumas hipóteses: live/live, debian/debian e debian/.
Nada resultou e saltando para um desktop texto, verifico que existe um user "debian" que fica automaticamnte logado. Vai de mudar a password com um passwd e ... pede-me a password ainda em uso. Como não a sei, fico impossibilitado de a mudar. Opções como entrar como root e alterar seja o que for, também esbarro no pedido de password que desconheço.

Porra, é apenas um live cd com que estou a testar um PC e por causa dumas passwords não documentadas, fico impossibilitado de o fazer! Será que custava muito optar por soluções como fizeram com o Ubuntu ou o Kurumin (que por acaso funciona perfeitamente nesse PC)?
É mesmo só para embirrar...

21 comentários:

Ora aí está algo com que eu embirro.

Ultimamente tenho andado de máquina em punho a apanhar esses prevaricadores. Tenho um post em rascunho para envergonhar essa gente. Não há respeito...

Eu tenho andado numa onda nostálgica e com esta "reportagem" fazes-me lembrar um professor de Eng. Electrotécnica em Luanda (anos 70) algo entroncado que um dia nas proximidades do aeroporto tinha um carro (descapotável) na passadeira de piões e o respectivo condutor recusou-se a mover o veículo. Ess prof não fez mais nada passou literalmente por cima do capot (que amolgou). O condutor nem piou.

Há 2 semanas estava um varredor com o seu caixote com rodas a pedir desculpas a um condutor com o carro todo metido em cima do passeio, por ter tocado com o seu caixote no carro dele. Virei-me para o varredor e disse-lhe bem alto para que o condutor ouvisse, que ele não tinha que pedir desculpa nenhuma pois estava no passeio e o passeio não é para carros! Se o tipo não quisesse que lhe batessem no carro, que não ponha no passeio. O gajo não piou...

Não querendo ser do contra e sei que me vão todos cair em cima mas acho que não é assim tão grave como dizem.

Passo a explicar...

Imaginem uma situação em que estão com urgência e vão fazer algo que demora 5 ou 10 minutos. É muito lixado ter que gastar 10 minutos à procura de estacionamento.

Nessas situações prefiro deixar o carro em segunda fila.

No entanto, quando deixam o carro em 2ª fila a travar o meu costumo ser extremamente compreensivo. Só fico muito chateado é quando as pessoas não mostram qualquer tipo de "emoção" e entram puramente no carro mal estacionado sem olhar para nós...

Imagino que em Lisboa seja um autentico caos (felizmente nunca passei MUITO tempo por ai ;o)) mas pelos sítios onde ando (em Gaia e Porto) é extremamente comum haver muita dificuldade em arranjar estacionamento (leia-se, nos sítios onde trabalho...estabelecimentos de ensino superior).

Geralmente não ponho em cima do passeio (que é o que realmente referes) mas é, em especial, porque o meu carro é extremamente baixo e ia estragá-lo! (uahaha :oP).

Para dizer a verdade, a última vez que estacionei em cima do passeio foi num extremamente largo, porque estavam lá outros carros, e quando cheguei tinha lá a bela de uma multa! Paga e não chora! ;o)

Hugz,
Luís

Judge Roy Bean disse...
05 abril, 2008 17:49
 

"Eu nestes casos passo literalmente por cima do carro, completamente me borrifando se ele fica riscado ou algo do género."

E faz muito bem. Sugiro-lhe mesmo que continue com tão meritória filosofia da próxima vez que apanhar um peão dentro da faixa de rodagem e fora de uma passadeira ou a atravessa-la com o vermelho para peões.

@Judge
O peão é sempre o elo mais fraco, esteja ele onde estiver. São inúmeros os peões atropelados na faixa de rodagem, dentro ou fora das passagens de peões, sinal verde, ou vermelho! É a tal ditadura dos carros, a estrada é só para eles, e até os pequenos passeios servem para serem ocupados para estacionamento, enquanto o peão que se foda...
Só não vê isso quem não quer! Há uma enorme falta de respeito para quem anda a pé, de cadeira de rodas ou até de bicicleta, por muitos condutores que se esqueçem que quando saiem do carro tb são peões.

@Luis
Eu tambem estaciono nos passeios caso não arranje outro sítio, os passeios sejam largos e não seja o único. Não fecho é a passagem aos peões ou alguem que ande de cadeira de rodas! Segunda fila é mato por aqui, mas caso o faça, não custa nada deixar um papelinho a avisar onde estou e ter os ouvidos à escuta duma possível buzinadela do carro fechado. Um dia sou eu que estou em segunda fila, outro dia sou eu o fechado...

Cumprimentos

Meu amigo.... passe um dia aqui no Rio de Janeiro e aí sim vc entenderá o significado de desordem, falta de respeito e falta de educação.

Judge Roy Bean disse...
05 abril, 2008 20:37
 

"O peão é sempre o elo mais fraco, esteja ele onde estiver."

Bullshit!

E nada como atirar um slogan paspalhóide ao tentar justificar um caso de falta de educação e cidadania do outro com a minimização da nossa própria falta exactamente do mesmo.

Ou a fábula do automobilista selvagem contra o manso peão!...

Bullshit!

jap

Caro tux há já algum tempo que sou frequentador assíduo deste blog (até porque tenho uma camisola da mesma cor do piguim...) e agradeço desde já a infinidade de excelentes dicas que aqui tens deixado.
Gostava de aqui deixar tb uma contribuição, sou utilizador de CentOS 5 e quando quero testar algum OS, uso o Innotek VirtualBox que agora pertence à Sun, acho um espectáculo. estou neste momento a correr o SliTaz.

Cumprimentos de Lagos, ALgarve

E portanto, o senhor Judge Roy Bean aconselha que, quando um carro está estacionado em cima do passeio, impossibilitando o livre tráfego de peões pelo mesmo, passemos por baixo do carro em questão, tendo o cuidado de lhe pedir perdão pelo incómodo... Ou então voltar para trás.

E porquê? Porque o caro Judge Roy Bean nos esclarece que é também falta de cidadania quando uma pessoa passa dentro da faixa de rodagem, o que impossibilita que contornemos o veículo em infracção.

"Ou a fábula do automobilista selvagem contra o manso peão!..."

Claro como água; O mínimo divisor comum é o peão. Os senhores automobilistas que metam os carros onde quiserem, desde que não me tapem o caminho. Também já passei por cima de vários.

E já agora, lembro também a falta de respeito que alguns programadores de semáforos têm para com o peão. É de tal forma ridículo, que o comportamento de alguns semáforos deve causar acidentes.

Judge Roy Bean disse...
06 abril, 2008 10:36
 

Anónimo disse...
"Claro como água; O mínimo divisor comum é o peão."

Clarissimo. E digo mais; A "intifada" à portuguesa devia ser incentivada com a construção de mais passagens aéreas pois não se admite que só uns poucos possam saciar as suas frustrações apontando pedras aos para-brisas e que só produzem o efeito máximo nas auto estradas. Talvez com turnos rotativos e deslocações patrocinadas...

Se a passagem do peão estiver dificultada por um transformador da EDP, por um sinal de transito, por um painel publicitário, por um móvel velho que o santo peão depositou à porta de casa sem chamar a recolha da câmara, por um tapume de obras, atire-se ao automobilista. Sempre ao automobilista segundo a regra do denominador comum :)

Que perca de tempo marchar sobre campos de milho quando caminhar sobre automóveis é tão mais divertido. Venham dai as brigadas verde-eufémias motorizadas!

Por alguma razão em PT, e durante várias décadas, a construção de garagens nos edifícios residenciais podiam converter-se em lojas desde que a Camera fosse "compensada" em dinheiro. Foi um investimento mais do que rentável recolhendo-se hoje os frutos dessa visão a longo prazo e declarando os automobilistas como o inimigo do povo/amigo dos cofres públicos.


"E já agora, lembro também a falta de respeito que alguns programadores de semáforos têm para com o peão"

E os "programadores" de passadeiras que as pintam como lhes dá jeito ignorando tudo o resto não podem também ser recordados?


eldarion disse...
"Porque o caro Judge Roy Bean nos esclarece que é também falta de cidadania quando uma pessoa passa dentro da faixa de rodagem, o que impossibilita que contornemos o veículo em infracção."

Tinha mais em mente o atravessamento das ruas a eito ou o caso dos mais pretensiosamente "esclarecidos" que se atiram para cima das passadeiras cuidando que bastam umas riscas no chão para os tornarem invulneráveis ao factor humano que vem dentro do automóvel. Mas a sua sugestão também não é totalmente de descartar. :)

(...) o caso dos mais pretensiosamente "esclarecidos" que se atiram para cima das passadeiras (...)

És ridículo! Se um dia me "atirasse" para a tua frente numa passadeira e me chateasses com buzinadelas, rosnadelas, ou afins, acabavas debaixo do teu próprio carro e ainda me agradecias por te ter tratado de modo tão simpático e ter ensinado boas maneiras.

Jersey Lilly Saloon disse...
06 abril, 2008 19:49
 

P disse...
"És ridículo!"

Ora cá temos mais um exemplar dos tais candidatos a "menor denominador mentalmente comum". Presumo que era a estes espécimes que o anónimo das 20:42 se referia.

"acabavas debaixo do teu próprio carro"

Isso é capaz de ser difícil. E com tanta testosterona em ascii por aí espalhada não me parece que já tenha licença para atravessar as ruas sozinho. Mas aguarde mais uns aninhos que isso passa. ;)

boas ....

acerca da password e user, experimenta


At the login screen, enter:
username user
password live

depois diz se funciona

abraço e continua a blogar

ja agora.... a fonte....

http://pkg-kde.alioth.debian.org/kde4livecd.html

abraço

No ficheiro /etc/passwd dá para ver que existe um user "debian", a passord é que não descobri...

experimentaste com o user que eu te disse???
username user
password live

diz qq coisa.

Se nao der eu vou ver se descubro....

abraço

Está na hora de passar à acção!

http://www.iparklikeanidiot.com/

Vou mandar vir 40!

Username: user
Password: live
Não dá. Como disse antes existe um user "debian", falta o raio da password.
debian, user, live, sid, "blank", não são solução....

Salta-se para um desktop de texto e faz-se o trabalhinho:

Ctrl + Alt + F2

su
passwd debian
xxxxx ( 2 vezes)

Ctrl + ALt + F7

E já podes meter
user: debian
password: debian