25 janeiro 2009

Opinando sobre o Windows 7

A versão beta do sucessor do Vista ( Uáu ou Me 2 para os amigos) conhecido por Windows 7 ou Vista 7, já circula pela net e tem recolhido boas impressões junto dos utilizadores. "Boas impressões" é capaz de ser pouco, na verdade o Vista 7 está a ser recebido em euforia, como se fosse O sistema operativo de que toda a gente espera, O Tal que vem revolucionar tudo, Aquele a que todos os utilizadores mesmo os da concorrência, se irão ajoelhar para O ter. Segundo um papagaio da Microsoft, o Vista 7 será o "Linux killer" e já se lê que apenas os "xiitas" do Linux se manterão agarrados aos ultrapassados GNU/Linuxes e desejarão que o Vista 7 seja um fiasco. Pessoal, tenham lá calma com toda essa euforia porque afinal de contas o Windows 7 é o mesmo que o Vista, apenas com outra maquilhagem. Já com o XP foi o mesmo no que toca ao Windows 2000. Internamente na Microsoft, o Windows 2000 é conhecido por Windows 5.0, o XP por Windows 5.1, o odiado Vista por Windows 6.0 e o seu sucessor por Windows 6.1, coisa que podem confirmar no registry do Windows:

HKLM\Software\Microsoft\Windows NT\CurrentVersion\CurrentVersion


Embora ainda não tenha experimentado, parece ser mesmo verdade que esta nova versão vem mais ao encontro do que aquilo que os utilizadores pediam e a nota positiva por parte deles torna-se assim natural. Difícil seria a Microsoft conseguir ainda fazer pior do que aquele aborto do Vista, logo qualquer coisa que não seja tão má como ele, é por si já um sucesso!

Na altura da saída do Vista percebia-se que a Microsoft queria ir buscar muitos utilizadores ao sistema da Apple ao torná-lo assim meio parecido com o OSX, mas o resultado é que houve uma debandada do rebanho da Microsoft para o pastor Apple e muitos mais se libertaram para o Linux. Será agora que com o Vista 7 com aquela aparência à KDE 4, em vez de ir arranjar ovelhas no mundo do pinguim, ainda tornará o seu rebanho mais pequeno em favor da malta que usa o software livre?

Perguntam então voces se eu vou testar e se haverá possibilidades de eu e os muitos milhões de utilizadores do sistema do pinguim de se passarem para a nova coqueluche da Microsoft. Bom, quanto a testar, sem dúvida que o farei até porque gosto de conhecer e saber até que ponto está a qualidade de cópia que fizeram do KDE 4 e quais as diferenças que tem do seu irmão Me2. Testei algumas vezes o Me2 e senti que arrisquei a minha saúde bem como queimei neurónios com os altos níveis de stress que aquela bela bosta provoca. Sinceramente trabalhar ou mesmo apenas usar o Vista é algo que eu não desejo a ninguém, nem aos meus inimigos. Por acaso, os meus colegas que tinham comprado recentemente portáteis e lhes foi imposto o Vista, nenhum deles ainda o tem, tendo optado todos por XP e/ou Ubuntu.

Agora eu mudar-me dum sistema operativo GNU/Linux para o Vista 7 ou outro sistema operativo da Microsoft, tem muito que se lhe diga. O que é que o Vista 7 tem para me oferecer para me conseguir conquistar? É que eu agora já estou muito mal habituado aos sistemas do pinguim e para me mudar para a concorrência, ela tem de ter argumentos de peso para isso!
Vamos lá a ver se alguém me tira as dúvidas, o Vista 7 já usa múltiplos desktops por omissão? Uma coisa que embirro quando uso Windows é selecionar algo com o rato e ele não colar com o botão do meio dele, o Vista 7 já faz isso? O Vista 7 vem em LiveCd para eu poder testar o meu PC? Qualquer Linux hoje em dia tem LiveCD para o podermos testar, é algo banal.
Coisa que eu embirro é ter que fazer reboot a um computador por qualquer coisinha, e com o Windows só por ter que salvar algo no Notepad já constituía um bom motivo para reiniciar o Windows. O Vista 7 ainda precisa de reboots por tudo e por nada? E BSODs? Ah, isso continua a acontecer e não me venham dizer por ser ainda beta que os BSODs acontecem. Todos os outros Windows o fazem e não são betas. Ou ainda são??

E quanto ao software que o Vista 7 traz por omissão além do Paint, Wordpad, WMP, DRM com fartura e o odiado IE? Traz algum Office? Photoshop? Leitor de Pdfs? GIMP ou similar? Eu estou habituado a ter logo 90% dos programas que necessito logo após o primeiro arranque dum GNU/Linux. Muito importante, o Vista 7 já tem um gestor de software digno desse nome como o apt-get nos sistemas Debian Linux? Sinceramente, andar a vasculhar sites para encontrar programas, puxá-los para o computador, ir depois executá-los, dizer 50 vezes que sim ao UAC, clicar outras 20 vezes "Sim" na instalação do programa para ficar instalado no PC é algo que já está fora de moda além de ser mais trabalhoso e moroso. Este Windows ainda insiste em colocar as nossas definições e documentos na mesma partição do Windows? Não me digam que o Vista 7 continua a necessitar de antivírus e outros softwares de proteção? Há anos que não uso antivírus e outros softwares desses e não quero regredir!

Habituei-me a mandar vir CDs com sistemas operativos, copiá-los e distribuí-los pelos meus amigos, posso fazer o mesmo com o Vista 7? Tenho que colocar chaves de activação para os usar?? Já nem faço ideia de como isso se faz! Acho inadmissível e estúpido ter de pedir autorização por telefone a uma empresa para usar um software que paguei para usar, isso ainda continua a existir com o Vista 7? Posso usar uma cópia do Vista 7 nos vários PCs da minha casa ou tenho que pedir autorização a uma menina dalgum call center cá em Lisboa ou na Índia ou Estados Unidos?

Agora o mais importante e é isso que muita gente não ligada ao GNU/Linux não percebe, é o Software Livre. O Vista 7 é software livre? Isto não é uma mania ou doença que os utilizadores do GNU/Linux apanharam ao estarem em contacto com o Kernel duma qualquer distribuição de GNU/Linux. É uma filosofia de vida, um modo de trabalhar que não temos por hábito de sacrificar por um software qualquer que nos é empurrado. Se o Vista 7 não é software livre, nem vale a pena a Microsoft nos piscar o olho...

A Liberdade e o Conhecimento não tem preço!

Quanto ao Vista 7, desejo-lhe sucesso desde que não interfira com os meus amados GNU/Linuxes. E sinceramente não faço questão de passar de cavalo para burro, voltando a usar Windows. Cópia por cópia, mais vale usar o original, Gnu/Linux com KDE 4.


35 comentários:

Concordo com tudo que disse e assino embaixo! :)

Eu já utilizo numa VM e aquilo é mesmo extraordinario, nunca vi um S.O. da Microsoft tão rápido e facil de utilizar.
Penso que o windows 7 é já um killer... do Vista! pois se eu utiliza-se o Vista provavelmente mudava mesmo sabemdo que é uma beta.
Em relação(visualmente) ao Linux... é uma cópia descarada do KDE 4!
Prefiro o original.

Olha, eu já experimentei o Windows 7 numa máquina Virtual no VirtualBox. Sinceramente o sistema não é mau de todo... Funciona melhor do que o Windows Vista, e nota-se que é sistema mais recente do que o Windows XP. Ainda tem imenso lixo do Windows Vista (por exemplo, para alterares uma configuração, em meia dúzia de cliques consegues abrir sem grandes problemas seis janelas), ainda é lento, mas funciona razoavelmente bem. Apesar da aparência da taskbar ser muito idêntica à do kde4, o funcionamento desta é um pouco diferente (pelo menos relativamente ao kde 4.1 que eu testei à uns meses); esta barra funciona um pouco como o tema docky para o gnome-do, com a aparência do kde. O start menu é o mesmo do windows vista, e nada a acrescentar aqui.

Apesar de não ser um sistema operativo perfeito (e na minha opinião, muito inferior ao que temos no Linux), para os utilizadores que ficaram no XP ou que utilizam o Vista, sem dúvida que é uma lufada de ar fresco. No entanto os argumentos deste sistema não são suficiente para me fazer desistir do nosso Linux, que como disse continua a ser bastante superior. Sinceramente os únicos utilizadores que podemos "perder" são aqueles que não conhecem verdadeiramente o Linux e aquilo que este sistema permite fazer.

Um abraço

Olá,

Sou entusiasta do Linux e software livre, trabalho com infra-estrutura de rede em ambas as plataformas (Linux e Microsoft). Acompanho com uma certa frequência o blog através do agregador planetgeek, gosto e encontro informações úteis, mas me permita discordar de alguns pontos.

Acho suas postagens as vezes excessivamente radicais e especialmente esta que estou comentando, sem embasamento.

Primeiramente, tem pouca credibilidade opiniar sobre algo que você mesmo admitiu não ter testado.

Comparar o Windows Vista com o ME, é algo completamente impossível. A diferença de qualidade, estabilidade, robustez, segurança, etc etc etc entre ambos os sistemas é brutal.

O Windows 7 será certamente um sistema muito próximo do Vista, feito com o mesmo Kernel, e que vem para corrigir principalmente uma falha de estratégia da Microsoft, por ter vendido no mundo inteiro o Vista com licenças OEM instalado em máquinas sem os requisitos mínimos de hardware para executar-lo adequadamente. O resultado disso foi uma grande rejeição inicial e muitas opiniões concebidas prematuramente, e sem conhecimento como me parece ser a sua.

Quanto ao KDE, me permita novamente discordar. Até mesmo a interface gráfica do Windows XP, que é bem menos sofisticada em comparação ao Vista é melhor acabada, e mais estável que o KDE. Aliás, especialmente as versões mais recentes do KDE, estão extremamente instáveis. (e falo isso embasado em testes)

Quanto aos aplicativos, você deve saber que existem questões legais que não permitem que a Microsoft distribua o software com aplicativos agregados, mas qualquer usuário Windows sabe que existe uma infinita gama de aplicações, inclusive com licença free para essa plataforma.

Quanto a segurança e vírus, é natural que um SO detentor da maior fatia de mercado, fabricado por uma empresa que usa métodos extremamente condenáveis (na minha opinião, e acredito que também na sua) seja alvo de um número maior de ataques e vírus. Esse é o preço que será pago pelo SO mais utilizado, independente de ser o windows, ou qualquer outro.

Tenho licença OEM do Windows Vista utilizo na minha máquina dualboot com Ubuntu, acredito que especialmente a distribuição Ubuntu tem se tornado uma alternativa de muita qualidade e estou na torcida para que o Linux consiga conquistar cada vez mais mercado, pois um mercado mais competitivo e justo é melhor para todos.

Complementando, você viu em algum lugar no site da Microsoft que a empresa pretende arrebanhar usuários do Linux para o Windows 7? Se sim, gostaria de ver esse link, pois acho pouco provável.

Acredito que o objetivo do Windows 7, é trazer de novo os usuários que não atualizaram para o Vista, por preferir o Windows XP. Principalmente por questões de hardware...

Um abraço!

Vinícius

http://vini.blogsite.org/

Vou dar uma de advogado do diabo:

Por um lado, o Windows 7 é bastante superior ao Vista. Mas de cada vez que sai uma nova versão, tenho hardware que deixa de poder ser utilizado porque os fabricantes não estão para se chatear (leia-se ter custos) com hardware antigo...

Por outro lado, concordo com tudo o que foi dito sobre as vantagens de Linux (ter LiveCD para testar, incluir logo programas, etc). Mas o problema com o Linux é sempre o mesmo: qual distro escolher? Porque é que há tantas? Ter escolha é bom, mas por vezes nem se consegue perceber para que é que foram fazer ainda mais uma distro nova...

O Ubuntu pareceu que vinha resolver um pouco isso... Mas depois eles próprios começaram com o Kubuntu, o Xubuntu, etc... Mas não basta fazer o download e mudar o Windows Manager? É preciso uma nova Distro?

@Vinicius
"Até mesmo a interface gráfica do Windows XP, que é bem menos sofisticada em comparação ao Vista é melhor acabada, e mais estável que o KDE"

Íncrivel como o explorer.exe do XP que tenho passa a vida a crashar... Com o KDE3.5 ou qualquer Gnome isso não acontece e estão semanas seguidas a funcionar. Os novos KDE4 são mesmo betas, mas tambem depende muito em qual distro se usa. Se for Kubuntu é certo que terá problemas, mas em Mandriva ou OpenSuse, o pessoal fala maravilhas dele. E é centenas de vezes mais completo que qualquer explorer do windows.

O facto de um sistema ter maior fatia de mercado não desculpa a sua enorme falta de segurança. Deves saber bem o quâo fácil é infectar um windows e a dificuldade em fazer o mesmo num Linux qualquer. Os sistemas tem uma estrutura bem diferente e a do Linux está bem mais preparada para evitar vírus.

Windows 7, the Linux Killer:
http://computerworld.com/action/article.do?command=viewArticleBasic&taxonomyName=hardware&articleId=330846&taxonomyId=12&intsrc=kc_feat

Se é para matar o Linux subentende-se que é para trazer de volta do Linux os utilizadores perdidos com o Vista.Claro que na Microsoft não tem um link oficial para uma declaração dessas. Uma empresa não diz isso em publico,,,


@pedlino
A diversidade é um bem precioso, e tal como a evolução, as menos preparadas morrem e as melhores desenvolvem-se e permanecem. Triste seria o mundo informático se houvesse apenas uma distro de Linux!



Um abraço pró pessoal

A diversidade é boa... Mas se os utilizadores já tem dificuldade em escolher qual a versão do Windows que devem comprar (e são só 4 http://www.microsoft.com/windows/windows-vista/compare-editions/), como escolher entre 315 distros? (http://distrowatch.com/stats.php?section=popularity)

Parece-me que a selecção (natural ou artificial) não está a ter efeito desejado neste caso...

Tenho andado a testar o 7 e por enquanto não tenho intenções de criticar, para o bem ou para o mal, este produto.
Isso não invalidada que possa ser um sério defensor de que o 7 venha realmente a ser um produto fantástico. Torço por isso com toda as minhas forças. E porquê?
1º - Espero que seja esta a verdadeira versão de um Windows que de uma vez por todas elimine a pirataria e que deste modo obrigue efectivamente os mais de 80% de utilizadores piratas a comprá-lo;
2º - Espero que seja esta a versão do Windows que acabe de vez com o XP principalmente com os XP oferecidos, e segundo algumas bocas a M$ até tem pago para os netbooks virem equipados com as janelas, aos OEM;
3º - Espero bem que a cópia do kde se venha a impôr. Foi sempre roubada porque não um dia roubar do mundo Livre?

Aqui, aproveito para dizer que me parece impossível falarem da forma como falam do actual kde. Só quem não tem conhecimento de causa é que pode falar dessa forma. No caso de terem conhecimento de causa, agradeço o especial favor de explicarem onde tem problemas de estabilidade com o 4.1?
Já o uso há uns meses e nunca notei nada. Também ainda não notei nada no 4.2 excepto a tal semelhança com o 7. Ou melhor, do 7 com o kde 4.2.

Resta-me despedir, com um "no comment" ao acabamento do XP...

@braço.

PS: Também experimentei o tal que algum teve ambições de ser tratado como um SO.
Estranho, até a Microsoft concorda comigo...

Esqueci-me do 4º. Aí vai:
- Espero sinceramente que venha com todas as medidas para evitar não só a pirataria do SO como também as dos programas que futuramente acompanharão esta plataforma tais como o MSOffice, Adobe Photoshop, Autocad, etc. Penso que estes poucos serão mais que suficientes para fazer umas contas e assim por alto qualquer utilizador que queira utilizar este SO (não o vão poder oferecer senão vão ao charco e pelo contrário vão ter que subir o preço) mais o Office lá se vão cerca de 1.000 €. Para aqueles que querem umas brincadeiras com o Photoshop lá se vão cerca de mil e para os outros que precisam do Autocad lá se vão uns 3.500 € (no mínimo).
Como dizia espero que seja finalmente este o SO da M$ que acabe de vez com a pirataria e que cada utilizador pague 3 ou 4 vezes mais pelo software do que pagou pela máquina último grito!

Claro que sei que isto não passa de uma utopia e que a M$ tem que facilitar a pirataria embora de vez em quando dê um show-off na luta contra a mesma. Se alguém tem dúvidas basta seguir as notícias do (pseudo) último assalto da M$ à pirataria o tal de "ecran preto da morte" - alguém sabe o que é que isto deu?
Nada!
Rigorosamente nada!

Venha de lá o 7!

Windows 7? Ele que venha e concordo com o que foi dito, que traga um sistema infalível contra a pirataria, não só do sistema, não só dos programas, mas também dos jogos!

Não se esqueçam que hoje é dia de Kde 4.2 ;)

Já testei o windows 7, não achei nada por aí além.
Não vou deixar o meu xubuntu por esse windows e a minha versão do xp na VM vai lá continuar.

1abraço

"um gestor de software digno desse nome como o apt-get" -> E o YUM! Nem só de Debian vive o Homem! :) Concordo contigo e, principalmente, concordo com o jocaferro: Um sistema completamente fechado e "in-copiável" é que iria resolver o problema das cópias piratas e atirar com os utilizadores para o software livre. Infelizmente é um pensamento utópico: não dou 12h depois do lançamento para o genuine activation, ou lá como chamam, estar crackado. E depois é business as usual.

Olá jocaferro,

Não só posso te falar, como posso te mostrar, já que uma imagem vale mais do que 1000 palavras.

http://br.youtube.com/watch?v=Didzw0vG7sA

http://br.youtube.com/watch?v=U8qOnxjNp6w

O segundo link trata-se de kde rodando em os x, e em versão rc1, portanto desconsidere ... mas é apenas para mostrar a tela de "a fatal error occured", é desse tipo de instabilidade que falo ...

isso é apenas um exemplo, pois não raro é o ambiente pendurar, como no primeiro link...

abraço

Eu não vou dizer muita coisa. Vou só dizer que já fui forçado a usar o Vista durante 3 meses (nenhuma distribuição Linux instalava com suporte à rede), e recentemente já experimentei o Windows 7 no VirtualBox (ainda instalado, pois é bom para testar páginas web no Internet Explorer 8).

Eu posso dizer que poucas diferenças há entre o Windows Vista e o Windows 7. Há algumas diferenças, e vão ser agradáveis para os utilizadores do Windows Vista/XP. Mas nada que qualquer actual distribuição Linux não tenha actualmente, ou possa ter com algumas modificações (ainda estou à espera do Murrine com RGBalpha...).

Quanto à diversidade acima dita: o problema com o Windows é que as versões poucas diferenças têm entre si, e muito dinheiro as separa. Actualmente a maior parte das pessoas sabe que o Windows Vista tem a versão Home Basic sem Aero, e a Ultimate com tudo, mais nada.
As distribuições Linux são várias com várias diferenças - o Ubuntu é para o utilizador iniciante, o Puppy ou DSl para computadores fracos, por aí fora. Além disso, o Ubuntu é a mais conhecida por enquanto, sendo adoptada como "aquela para utilizadores novatos".
Quanto ao Ubuntu se ramificar, também não há dificuldades: Ubuntu - novato; Kubuntu - novatos ex-Windows; Xubuntu - novatos do pc fraquinho. E muitas vezes há poucas pessoas a conhecer o Kubuntu e Xubuntu.

É verdade que pode causar confusão a algumas pessoas, mas nós não podemos demonstrá-lo por nós próprios, já conhecemos tudo sobre estas distros, as vantagens, os defeitos, por aí fora. Temos de nos lembrar de como primeiro conhecemos o Linux. E eu lembro-me perfeitamente da minha história.

Eu conheci alguém com uma tendência para distros Linux leves. Então, por mim próprio, procurei uma (queria livrar-me do Windows 2000 para algo mais recente). Tive dificuldades pois a página de download do Caixa Mágica é péssima (foi a distro que encontrei no Google). Depois, uma revista da MegaGuia mostrou-me o caminho para o Kubuntu, mais adequada para utilizadores do Windows segundo eles. Desde então que uso o Linux, com novos conhecimentos todos os dias.

Quanto ao KDE, sim, esta nova versão está muito instável, mas nada que o tempo não resolva. É necessário lembrar que o explorer.exe já vem do Windows 95 (ou talvez NT4), com apenas muitas modificações ao longo do tempo.

E depois de muito vaguear, eu resumo: sim, o Windows 7 tem coisas novas, mas muitas delas já existem noutros sistemas operativos, e continua a ser o Windows. Se a Microsoft quer fazer várias versões do mesmo sistema, então é melhor que mostre diferenças óbvias que afectem o utilizador. E o KDE4 é instável, mas o tempo cura todos os males.

Desculpem se soei molengo, é que assim o estou hoje, e isso reflecte-se na escrita.

Os teus comentarios sao, no minimo, GENIAIS. Nunca me ri tanto com um texto informatico. Tá demais :D

continua com o bom trabalho

http://br.youtube.com/watch?v=Didzw0vG7sA
??
Não houve por aí qualquer confusão?
Fiquei sem perceber onde é que o kde é instável...
Já agora, o vídeo pertence-lhe?
Caso afirmativo gostaria que me explicasse o que está a tentar fazer - eu entendi que queria "meter" o kde no Qtopia Core.
Quanto ao 2º, não digo nada.
kate?
Bolas!

Uma chamada de atenção para a data do 1º vídeo.

Quanto ao kde estar instável, eu estou neste momento com o Fedora 10/kde 4.1.4 e 4.2 RC. Até ao momento problemas = 0. Nenhum.

Como tinha dito anteriormente, ilustrem sff os momentos que acharam instáveis sem ser necessário linkar vídeos bastando para isso algo como:
- "estava a fazer x e o sistema kaput"

Agora, se vierem com Ah! e tal o Firefox encravou ou como o outro o kate foi à viola é melhor pensar duas vezes antes de acusarem o kde.

Eu acho que o kde 4 ainda tem muito que andar mas para melhorar. Aceito que digam que a equipa do kde era um pouco "ausente" e não ligava lá muito aos utilizadores. Mas isso já era - existe uma eauipe que se dedica inteiramente às sugestões dos utilizadores e é essa mesma equipa que faz a "interface" com esse mesmo utilizador.

No Planet Geek temos por lá um membro da equipe de desenho do kde. Dá pelo nome de Nuno Pinheiro e é um dos principais "cabeças" do tema Oxygen. Trabalha na Suiça e o seu trabalho é admirado por quase todos a tal ponto que Fedora 10 vem com o tema Oxygen por padrão. Ele é um porreiraço e em várias das suas aparições na mailing list do PG mostra o profissionalismo que reina por aquelas bandas. Não tem mesmo nada a ver com aquilo que andavam por aí a dizer dos desenvolvedores do kde, apenas por uma reacção que veio a público.

Isto é o máximo que posso fazer - receber as indicações e testar no Fedora quer com o 4.1.x quanto com o 4.2. Este é o espírito da comunidade e decerto a equipa do kde agradecerá a vossa ajuda.
Só assim o software Livre vai para a frente.

@braço.

PS: Para além de testar posso também ver se o bug já foi reportado e corrigido. Caso não tenha sido reportado posso eu enviar o problema (com o vosso nome como "descobridor", claro) ou poderão ser os próprios a fazê-lo.

Caro jocaferro,

Não, os vídeos não me pertencem, eles apenas ilustram situações que já ocorreram comigo e com outras pessoas. Janelas penduradas, crashs, etc

Inclusive deu pra ver aqui mesmo nesse espaço que a minha opinião não é única, assim como não é entre os meus colegas de trabalho, enfim... opiniões, mas tem gente que não as respeita.

Não tenho a pretenção de ser um "descobridor" de bugs, prefiro deixar essa tarefa para alguém como você, os seus reports serão mais precisos.

Abraço

"(...) eles apenas ilustram situações que já ocorreram comigo e com outras pessoas."

Desculpe-me, mas continuo sem perceber. Já teve janelas penduradas, crasches com o kate ou com o kde?
Ou a tentar meter o kde no Qtopia Core?

Quanto a eu não respeitar opiniões, também deve estar enganado. Eu respeito-as. Será que ao pedir um exemplo de uma forma tão banal tal como
- "estava a fazer x e o sistema ficou pendurado" estou a faltar ao respeito de alguém?
Desta forma, poderíamos comparar, por exemplo, o que passa no kubuntu versus Fedora/Mandriva já que o problema pode residir na distro.
Se isto é faltar ao respeito, sinceramente não compreendo a sua escala de valores.

Os meus reports não são nada precisos. Quando me acontece algo tenho o cuidado de apontar o que estava a fazer e se possível o que tinha aberto. Seja para o kde quanto para o Windows 7.
É precisamente isso que transmito - "estava a fazer isto e aquilo e de repente fiquei deste modo".


Como é lógico, a sugestão de denunciarem aqui um exemplo da instabilidade do kde estende-se a toda a gente. Não venham é com filmes dos princípios de 2007 de um gajo qualquer a meter o kde em Qt ( para quem não sabe o que é o Qtopia Core - http://www.qtsoftware.com/products/device-creation), ou um actual de um outro gajo a crashar o kate.
Factos e nada de filmes nem de opiniões.
Pela minha parte não estou a dar opiniões mas sim a afirmar que o kde a partir do 4.1 e agora com esta 4.1.4 nunca me deu qualquer problema em Fedora 10. Eu estou a afirmar isto e como é lógico não posso mostrar provas do que digo, excepto se quiserem estar omnipresentes sempre que eu estiver no computador, mas se estivesse a afirmar o contrário submeteria essas mesmas provas.

Não vale a pena é vir para aqui dizerem que eu não passo de um kde fan-boy. Enganam-se na porta. Apesar de o ter no Fedora também tenho o Gnome do qual continuo a gostar imenso e não fosse a palermice do Miguel de Icaza em tentar colocar lá o macaco e nem ligaria ao kde.

No que não tenho qualquer dúvida é nisto:
http://www.kde.org/screenshots/kde1shots.php

kde 1 = 1997
Se quiserem podem também ver a versão 2.

A beta do 3 saiu mais de um ano e meio antes do XP mas a versão final saiu cerca de 6 meses após o XP.

É só dar uma noção das coisas.

Para os mais atrevidos por ver os referentes ao 4.2 e compará-los com os do Windows 7...

@braço.

PS: Prometi-me guardar silêncio e só falar do 7 quando sair a versão final mas poderia provar como se manda o SO às urtigas ou como é que o mais-que-tudo SO nem sequer arranca em duas máquinas que aqui tenho.
Porém, como sei que estes problemas não tem nada a ver com o SO e sim com os fabricantes do hardware que ainda não dispõem de drivers para este SO ou se os têm estão todos marados, não irei tecer comentários acerca da instabilidade do 7. Para quem quiser ver não faltam exemplos por essa net fora.

Caro jocaferro,

Realmente parece que pensamos diferente. O espaço de comentários em um blog pelo que eu saiba existe para as pessoas expressarem suas experiências e opiniões a respeito do assunto proposto, e não necessariamente fatos ao pé da letra.

As últimas experiências que tive com KDE foram no Mandriva 2008, e openSUSE 11. Atualmente tenho usado as distros openSUSE 11.1 e Ubunto 8.10 ambas com Gnome, e optei pelo Gnome justamente por não ter ficado satisfeito com o KDE anteriormente.

Não tenho no momento nenhum relato detalhado de problema com o KDE porque não estou a utilizar o mesmo.

E quanto a desrespeitar opinião, acho que isso se caracteriza quando alguém compartilha uma experiência, e você se atravessa dizendo que isso não existe, que é falta de conhecimento.

Eu tenho mais a fazer do que ficar inventando estórias sobre o KDE, se os problemas não tivessem acontecido, certamente eu não teria comentado.
Mas da próxima vez estarei relatando com a maior riqueza de detalhes possível.

Agradeço e me desculpo por qualquer transtorno.

Caro vinícius,

Com toda a certeza pensamos diferente.
No meu ponto de vista qualquer caixa de comentários é um espaço de discussão aberta e franca.
Portanto por aí estamos completamente em planos opostos.

Assim, quando com toda a consideração eu peço, e por favor, para me apresentar factos e de uma forma tão simples como -
- "estava a fazer X e o kde crashou" julgo na minha opinião que não estou a faltar ao respeito a alguém.

Quanto a isso, se quiser responder responde se não quiser assunto encerrado.Uma vez que tentou dar, lamentavelmente através de dois videos simplesmente absurdos, sujeita-se a alguma resposta da minha parte ou seja, discute-se.
É precisamente através dessa discussão que a gente se entende ou seja, da discussão nasce a luz.
Como é óbvio, respeito perfeitamente a sua opinião porém esta mesma opinião pode estar completamente desajustada da realidade pelo que inválida.

E porquê?
Repare bem nas suas palavras:
"Aliás, especialmente as versões mais recentes do KDE, estão extremamente instáveis. (e falo isso embasado em testes)"
A pergunta que faço é testou ou não testou?
Se testou certamente não foram uns meros segundos e também não deve ter sido há muito tempo (note-se as versões mais recentes).
Gostaria também de assinalar o - "extremamente instáveis". Extremamente!

Por outro lado
"Eu tenho mais a fazer do que ficar inventando estórias sobre o KDE, se os problemas não tivessem acontecido, certamente eu não teria comentado.
Mas da próxima vez estarei relatando com a maior riqueza de detalhes possível."

Como já disse, não estou a pedir riqueza de detalhes mas sim um simples acto que possa ter causado um erro. Como fala das versões mais recentes (todas) certamente não deve ter sido há muito tempo pelo que deve ser relativamente fácil recordar-se de alguma.
Por outro lado como são extremamente instáveis devem ser tantos os crashes que não deve existir qualquer dificuldade em apontar um.
Como eu disse e repito, até hoje nunca tive qualquer problema no Fedora 9 e 10, e também não estou a inventar, no caso de estar extremamente instável já deveria ter dado por isso.

Para finalizar, o meu pedido não tem nada a ver com desconfiar do que disse ou não. Não sou polícia, padre ou advogado para lhe tentar extraír a verdade. O meu pedido tem a ver com a enorme experiência que tem, enquanto eu sou um novato nestas coisas do kde, e ver até que ponto eu estou em risco por usar uma coisa extremamente tão instável. Aquilo que eu não quero é correr riscos com os meus importantes dados.

@braço.

PS: Aproveito para anunciar que o kde 4.2 já saiu. O tal onde o 7 foi "beber" a inspiração...
Dentro de umas semanas o 4.3.

Ah!, desculpem qualquer coisinha mas:
- Quem não quiser instalar pode pelo menos ver e analisar aquilo que é uma porcaria face à interface gráfica do XP:
http://www.kde.org/announcements/4.2/guide.php

Depois digam alguma coisa. Se quiserem claro.

Este comentário foi removido pelo autor.
Este comentário foi removido pelo autor.

Quanto ao KDE, sim, esta nova versão está muito instável, mas nada que o tempo não resolva. É necessário lembrar que o explorer.exe já vem do Windows 95 (ou talvez NT4), com apenas muitas modificações ao longo do tempo.

Tenho o KDE 4.2 (final) no meu ArchLinux e tenho a dizer que é muito bom. Até agora usava o KDE3 por causa da instabilidade (não sei se por má implementação dos Live-CD que experimentei se pelo código do KDE4).

Por isso aconselho vivamente todos a passarem para, ou pelo menos a experimentarem (com olhos de ver) o KDE4.

Não se esqueçam, hoje é o dia D do KDE 4.2!!! Parabéns a toda a equipa!

PS: desculpem lá a remoção dos comentários acima. Mas porque é que isto não tem um "edit"? :)

Eu ia dizer que para mim tanto faz o sistema desde que funcione. Ai acabei escrevendo muito então em vez de comentar escrevi um post inteiro.

André, bacana o seu post, inclusive fiz um comentário lá...
jocaferro, infelizmente vou ficar te devendo o relato mais preciso dos problemas que tive com o KDE, pois já faz um tempo e não me lembro de cabeça o que eu estava fazendo exatamente quando ocorreram os problemas.
Mas conforme ilustrado nos vídeos, foram problemas parecidos... ex.: Estar trabalhando com janelas do sistema (não aplicações, e sim janelas padrão do sistema) e acontecer travamentos, botão fechar não responder aos cliques... crashes com mensagens de erros... esse tipo de coisas... isso para mim é um caso de extrema instabilidade, nem mesmo no Windows XP me acontecia esse tipo de coisa.
Mas na próxima vez não serei tão leviano e farei as críticas embasado em maiores detalhes.

Aliás, coinsidentemente, Linus Torvalds também mudou de KDE para Gnome, e cometeu esse grande erro de falar sobre a instabilidade do KDE sem dar maiores detalhes.

Mas enfim, na minha opinião a origem tanto desse post, quanto da discussão dos comentários, é o radicalismo. Se não existisse tanto radicalismo e parcialidade na comunidade acho que os projetos de software livre teriam um êxito maior ainda!

Com referencia aos crash do KDE4 geralmente ocorrem quando se usa dos recursos visuais, como troca de cor e modelo de janelas e uso dos recursos 3D.

Outra coisa que incomoda e a quatidade de recursos e configurações do KDE4, acho que deve ter uns 30% dos recursos do KDE3.

Se o Gnome a meu ver nao deve mudar deve continuar a ser simples e funcional, espartano como dizem alguns, o KDE por sua vez tem a obrigação de deixar a versao 4 com a mesma quantidade de recursos e configurações do classico KDE3, e a razao de muitos usarem o KDE, seus quase ilimitados recursos e configurações.

Com referencia ao Linux Torvalds, nao queira deturpar as palavras dele.

Pelo link que passou o Linus Torvals falou que testou o KDE4, nao gostou por o achar muito distante do KDE3, procurava recursos que nao os encontrava, acha que a equipe KDE se precipitou em lançar sem antes testar mais profundamente.

Como é uma pessoa que gosta de estar sempre atualizada e ver como anda os outros gerenciadores de janelas, e tambem de ter ficado chateado com o atual estagio do KDE4, simplesmente instalou o Gnome.

Mas ja o avisaram que o Gnome esta com planos de fazer alguma reestruturação nos mesmos moldes do KDE, e o Linus Torvalds deixa claro que se isso acontecer verá outras possiblidades, ja que KDE e Gnome não são os unicos gerenciadores do LInux, tem muitas outras opções de gerenciadores de janelas.

Então a chamada que colocou
Linus Torvalds também mudou de KDE para Gnome
apesar de nao estar de todo errada esta incompleta e tendenciosa.

Deveira ser:
Linus Torvalds preocupado com o rumo dos mais famosos gerenciadores do Linux o KDE e Gnome.

Ou o senhor nao entende nada de ingles, o que e um pecado imperdoavel e mortal para que se diz que trabalha com infra-estrutura de rede em ambas as plataformas (Linux e Microsoft)
ou esta querendo provocar flames inuteis.

Ele disse que está usando Gnome, e que se o Gnome for pelo mesmo caminho tortuoso do KDE, com mudanças radicais mudara para outro gerenciador e que ira rever e analizar o que colocara na reinstalação de seus sistema, o Fedora, o que faz a cada seis ou oito meses.

Pense duas ou mais vezes antes de falar alguma coisa sobre Linux Torvalds ou de alguma distro Linux.

Seja mais cuidadoso em textos de lingua inglesa, procure passar a verdade e nao aquilo que gostaria que fosse.

Apenas uma pequena correção a alguns comentarios, uma coisa tão simples que ate eu mesmo erro as vezes ao escrever de forma incorreta, gerenciador de janelas ( Windows manager ) os associando ao famosos KDE e Gnome

KDE, Gnome, CDE e XFCE não são Window managers, eles são Desktop Enviroments.

Desktop Enviroment é um conjunto de recursos integrados que facilitam o uso nas mais variadas tarefas seja em sua casa ou trabalho, alguns recursos: gerenciamento de arquivos, aspecto visual, configuração de teclado, mouse e muita outras coisas.

Desktop enviroments também tem Window managers, no KDE e o kwin, no Gnome chama-se Metacity, ambos podem serem trocados por outros.

Aqui link de alguns Window Managers:
http://xwinman.org/

Gosto muito do WindowMaker e do AfterStep.

OBS: Red Tux seria legal habilitar um edit caso isso seja possivel, as vezes no calor do debate escrevemos coisas erradas, as vezes uma letra a mais outras vezes uma letra a menos.

Abraço.

@Belfiglio

A treta do blogspot não te "edit" de comentários, mas podes sempre apagar o comentário que fizeste mal e criar um novo devidamente corrigido.

Obrigado pela resposta RedTuxer.

Já que não da para editar vou apenas complementar o que disse no comentatio anterior em que falei que a chamada:

Linus Torvalds também mudou de KDE para Gnome.
http://www.computerworld.com/action/article.do?command=viewArticleBasic&taxonomyName=Software&articleId=9126619&taxonomyId=18&pageNumber=5

esta incompleta e tendenciosa.

Linus Torvalds foi praticamente obrigado a usar o KDE4, pois no Fedora ele vem por padrão o KDE 4.1.2 e o GNOME 2.24

Eu mesmo quando uso o Fedora ou RedHat prefiro o padrão da distro que e o GNOME e diga-se de passagem e insuperavél.

Das vezes que usei o KDE no RedHat/Fedora, achei que não ficou legal, não gostei.

E o KDE4 em muitas distros esta com um desempenho bem ruim.

KDE4 ficou um pouco melhor e usavel, sem tantos erros no Mandriva, Kubuntu e no openSUSE.

Tanto e verdade que o Debian e o Slackware não o adotaram oficialmente o KDE4 ainda esperam pelo KDE4.3.

Voltando ao assunto Linus Torvalds, ele então viu que o KDE4 do Fedora era tao ruim que não teve outra alternativa a não ser trocar, meio que a força o KDE pelo GNOME, ja que e usuario a algum tempo do Fedora, gosta da distro, provavelmente tentou instalar o KDE3.5, mas deve ter percebido que o suporte a esta versão, nao estava legal.

E como disse em suas palavras que reinstala o sistema a cada 6 ou 8 meses, vera melhor o que ira colocar no sistema.

E torcer para que a equipe Fedora tenha ajustado melhor o KDE4, se não ficar mais estavel, Linus Torvalds podera continuar usando o GNOME ou quem sabe até trocar de distro.

Isso e um direito dele, meu e seu, usa o que bem entender na distro que escolher, isso chama-se liberdade, e criticar se o usuario usa um dos varios Desktop Enviroment ou Window Managers na distro, A, B, C, D, ... e no minino coisa de quem não sabe o significado da palavra liberdade, palavra a qual o Linux está fortemente associado.

Ena. ena. Ando dois dias afastado e deparo-me com isto!

Ora, muito bem. Como é hábito eis que finalmente aparece o Linus metido ao barulho e logo de uma forma assaz falaciosa!

"Aliás, coinsidentemente, Linus Torvalds também mudou de KDE para Gnome, e cometeu esse grande erro de falar sobre a instabilidade do KDE sem dar maiores detalhes."
Brutal!
Tal como nos dois vídeos em que apenas uma pessoa consegue ver alguma coisa que não uma autêntica trapalhada e sem saber o que está a dizer, eis que vem desta forma meter mais uma vez água!
Ok, desta vez talvez até tenha desculpa caso não saiba ler o artigo na língua inglesa mas não tenho tempo a perder para andar por aqui a traduzir. Desta forma aconselho vivamente que peça a alguém que lhe ensine o significado de:
- "I hate the fact that my right button doesn't do what I want it to do";
- "But the whole "break everything" model is painful for users,";
- "They did so may changes, it was a half-baked release.";
- "I got the update through Fedora, and there was a mismatch from KDE 3 to KDE 4.0. The desktop was not as functional, and it was just a bad experience for me."

Segundo eu leio Linus explicou perfeitamente o que o fez levar a mudar para Gnome!
E lamentavelmente, nenhuma das razões apontadas se refere à "extrema instabilidade"!
A intenção em destruír o kde desde o 1º comentário é tão notória que não valia a pena apontar mais links. Se no caso dos vídeos foi uma autêntica anedota neste caso do Linuz ultrapassou o inimaginável. Uma autêntica falácia!

Só para que saiba, eu por acaso indiquei o kde 4.1.4 como o que estava a utilizar e ao mesmo tempo fiz uma chamada de atenção ao meu modo "novato" em kde. Nos últimos 4 anos andei quase sempre pelo Gnome, e apenas o Mandriva era instalado de base com kde. Como raramente utilizo Mandriva não tenho muito conhecimento das outras versões e como tal abstenho-me de falar sobre uma coisa que não sei só para não seguir o seu exemplo.

Se não quero falar das outras versões, é notável como é que alguém cai no erro de meter aqui um link para a entrevista de Linus. Ou seja, se Linus abandona o 4, foi apenas por comparação com o 3.x o qual segundo ele, mesmo nas entrelinhas deste artigo se pode notar isto, era a melhor coisa do mundo!
E o que quero dizer com isto?
É que a sua afirmação foi:
- "Quanto ao KDE, me permita novamente discordar. Até mesmo a interface gráfica do Windows XP, que é bem menos sofisticada em comparação ao Vista é melhor acabada, e mais estável que o KDE. Aliás, especialmente as versões mais recentes do KDE, estão extremamente instáveis. (e falo isso embasado em testes)"

Apenas kde!
Nem o 1 nem o 4.0. Pura e simplesmente kde!
Quanto às versões do kde, apesar de estar a correr neste momento o 4.2 também sem qualquer problema (devo ser um sortudo de todo o tamanho!), sei como funciona a saída das versões do kde. E como sei o seu funcionamento também sei que a 1ª versão estável do kde é quase sempre a x.3!
Apesar disso, resolvi correr o risco e tenho-me dado por satisfeito e até um pouco surpreendido pela qualidade deste 4.2.
(...)

Porém, resolveu dar uma de entendido numa matéria que não domina nem um pouco contrariando desta forma a petulante afirmação que emitiu para o autor deste post:
- "Acho suas postagens as vezes excessivamente radicais e especialmente esta que estou comentando, sem embasamento.
Primeiramente, tem pouca credibilidade opiniar sobre algo que você mesmo admitiu não ter testado."

Para a próxima aconselho a seguir os seus próprios conselhos.

Mas há mais!
Na inusitada ânsia de ir buscar argumentos não reflecte um pouco antes de meter água, do género desta:
- "Mas enfim, na minha opinião a origem tanto desse post, quanto da discussão dos comentários, é o radicalismo. Se não existisse tanto radicalismo e parcialidade na comunidade acho que os projetos de software livre teriam um êxito maior ainda!"

Penso que se está a referir à entrevista de Linus Torvalds. Neste caso, vou-lhe fornecer mais uma informação gratuita que lhe poderá servir para no futuro ter mais cuidado no que diz - por acaso sabe que as equipas do Gnome e do kde se reunem todos os anos e que nessas reuniões discutem o futuro das respectivas versões!?
Posso acrescentar que são vários dias de debates e que não saem de lá com olhos negros nem de ambulância mas sim aos beijinhos e abraços!
Assim, radicalismo onde?
Informe-se que lhe fica bem quanto não seja para cumprir com as suas palavras transcritas em epígrafe.

Só para terminar quero dizer que fiquei um pouco mais satisfeito quando li:
- "dos problemas que tive com o KDE, pois já faz um tempo e não me lembro de cabeça".

Pois, bem me parecia que já faz algum tempo. Provavelmente no tempo do 1º vídeo quando o kde 4 ainda andava a dar os primeiros passos e apenas aconselhado a quem queria colaborar no seu desenvolvimento. Aliás, chegou a haver uma acesa polémica com um dos desenvolvedores do kde em que ele frisava que o "kde 4.0 precisa de desenvolvedores e pessoas que possam ajudar na sua construção e não de utilizadores". E assim é de facto - o kde tem uma maneira muito peculiar de numerar as suas versões e muitos poderão ser iludidos pela numeração. Contudo, se pode desculpar um incauto utilizador já tal não deveria ser possível acontecer com alguém:
- "Aliás, especialmente as versões mais recentes do KDE, estão extremamente instáveis. (e falo isso embasado em testes)"
Acho que alguém que fala baseado em testes deve perceber pelo menos um pouco acerca daquilo que está a falar.
Só para terminar, como hoje estou especialmente generoso, fica aqui mais uma informação graciosa:
- "as versões mais recentes" e estáveis de kde são as 3.5.x enquanto as versões em desenvolvimento são as 4.x.

Conclusão - O seu primeiro comentário apenas teve como função idolatrar o Windows destruíndo os outros pelo caminho com afirmações puramente gratuitas e afinal sem qualquer base de suporte para as mesmas. Os vídeos foram um autêntico desastre e o aproveitamento da entrevista de Linus Torvalds completamente moldada à sua vontade, omitindo a verdade que se encontrava imediatamente ali à frente do nariz de molde a dar uma justificação sem qualquer cabimento e completamente desfasada da verdade.
Terminei.

@belfiglio:
"E o KDE4 em muitas distros esta com um desempenho bem ruim."
Está sim.

"KDE4 ficou um pouco melhor e usavel, sem tantos erros no Mandriva, Kubuntu e no openSUSE."
Como já disse já o tinha instalado no 9 e agora no 10. Como esperava alguns problemas, estou completamente encantado por não ter acontecido nenhum.

No kubuntu é onde acontecem a maioria dos erros enquanto o openSuse deverá ter aquela que é para mim a melhor implementação de kde. Para além de ter um 4.2 "afinado". Neste momento, nos repositórios kde dispoem de: -stable/branches - 4.1.x
- unstable/trunk - 4.2
- factory (apenas disponível na pŕoxima versão estável de openSuse) - 4.3.
O que acontece no openSuse é que eles cometem uns erros de vez em quando.

O problema é esse - a implementação do kde, prixcipalmente o 4, nas distribuições. É geralmente por aí que acontecem os erros e alguns em vez de criticarem a forma como x ou y distribuição se porta vão pelo caminho mais fácil e é logo - quem tem a culpa é o kde.

Vamos lá ver como o kde se comporta na versão 4.3.
Entretanto continuo a aprender kde apenas no Fedora e no Mandriva. Em todos os outros só dá Gnome.

@braço.

Sim e verdade a culpa muitas vezes acaba caindo sobre a equipe, no caso acima a equipe KDE.

Se não é feito um bom trabalho por parte das distros em implementarem corretamente o novo sistema, acaba por deixar o KDE e as vezes ate mesmo o GNOME com a fama que e ruim e bugado.

No FreeBSD instalei o KDE4.0.1 e como era de se esperar alguns crash, que geralmente acontecem quando se alteram resoluções graficas e recursos 3D.

O que chateia e que o KDE4 esta sem uma dezena de recursos, mas noto que estão adicionando estes recursos aos poucos, visto que tenho uma maquina com o openSUSE 11.1 com KDE4.2 e a implementação de recursos me agradou, nao esta 100% mas esta ficando bom.

É inegavel e salta aos olhos que o KDE do openSUSE 11.1 e muito bem feito e acabado.

Assim como é inegavel o grande progresso do KDE4.0.1 para o mais atual que e o KDE4.2, muita agua ja rolou por debaixo da ponte, mas falta ainda muito chao ate o desempenho e recursos do classico KDE3.5

A equipe KDE sabe das reclamações, estão cientes que faltam recursos e configurações que agradam tanto os utilizadores.

Abraço.

Concordo com o colega pela sistema de semi-escravidão do usuário.Este polvo gigante com bilhões de tentáculos "Microsoft" havia tentado impor seu padrão ,porém hoje está mais para seguidor do que inovador.Há muita batalha pela frente .. , eu também não vi nada de novo .Somente aquela mudança no desing que já e prache a cada versão e " como sempre" mudando o nome e o lugar das coisas de costume.Parabéns pelo ponto de vista.É um ótimo texto.