17 janeiro 2008

Divagações no éter e pelos jornais

Tenho por hábito saudável ouvir as as crónicas deprimentes, perspicazes e algumas vezes engraçadas do Nuno Markl nas manhãs da Antena 3. Ouvir o "Há Vida em Markl" enquanto nos arrastamos lentamente pelo trânsito de Benfica, cria-nos sorrisos na cara e não há sinal vermelho que nos chateie enquanto duram as suas divagações. Esta semana o Markl pôs-se a divagar sobre tiroteios junto ao seu bairro em Benfica, metendo depois os jornais com as suas ofertas e coleccionáveis ao barulho. Disse ele com razão, que os jornais apanharam o hábito de oferecer ou vender coleccionáveis de todos os tipos. Desde livros "best-sellers" a clássicos da língua portuguesa, colecções de cartas, jogos, ossos de dinossauros, faqueiros, lenços, amuletos, livros em fascículos sobre jogos olímpicos, histórias universais, armas, enciclopédias, etc, etc...

No meio de tanto coleccionável e jornais, lembrei-me do suplemento Bitaites que também é coleccionável e sai às Sexta-feiras no 24 Horas (atenção que acabei de fazer pub a este jornal, se algum director daquele matutino estiver a ler, uma atençãozinha seria bem vinda!). Sei que há gente que adora ler e guardar aquela revistinha, cheia de dicas e soluções para os sempre presentes problemas "janeleiros", notícias sobre tecnologia e mais umas coisitas interessantes.

Após beber a bica da manhã, aquela que faz acordar os neurónios da inteligência fazendo com que deixemos de ser uns sonâmbulos que se deslocam para o emprego, pensei na mania dos coleccionáveis e no 24 Horas que consegue fidelizar alguns amantes da informática. Porque é que eles para além do suplemento Bitaites, não oferecem um CD com uma distribuição de GNU/Linux portuguesa, promovendo assim software "Made in Portugal" e dar a conhecer um sistema operativo a sério aos seus leitores? Ficaria caro? Aumentava-se o preço às Sexta-feiras ou vendia-se à parte o CD, e 1€ era capaz de chegar. E para além das distribuições portuguesas, podiam oferecer outras bem conhecidas. Imaginem o 24 Horas a oferecer o Ubuntu 8.04 dias depois de ele ter lançado!

Hello, será assim tão má ideia?

7 comentários:

Andas a fazer os CDs muito caros :) A sério, dependendo de onde o jornal os mande imprimir, um conjunto grande de CDs sai a um custo muito próximo do zero por unidade (desde que não se tenham de pagar os direitos de autor, o que é o caso). O problema não é, portanto, o CD. É mais um conjunto de factores:

* Um utilizador médio de informática não saberia o que fazer com o CD, mesmo que este fosse um live-CD. Seria então necessário, pelo menos, um material escrito para o acompanhar e o jornal não tem ninguém para o escrever;
* Um CD com uma distribuição portuguesa de Linux não é suficientemente apelativo para ajudar a vender jornais, pelo que não compensa a despesa;
* Distribuir CDs de Linux, mesmo contando com as condicionantes acima, pode aborrecer potenciais investidores em publicidade com interesses um pouco diferentes, não sei se me faço entender.

Não concordo com o teu primeiro ponto, se tem alguém que escreve o suplemento Bitaites, poderia fazer uma página ou duas a explicar algo sobre o suposto (Live)CD.

Já te dou mais razão nos outros dois pontos...

Um abraço

Que utilzador de ubuntu ou afins... iria comprar um jornal como o 24horas pelo simples facto de trazer um cd com alguma distro...???

Ou melhor quem raio compra o 24Horas???

Luis Alves disse...
17 janeiro, 2008 21:08
 

certamente que um utilizador de Ubuntu ou qualquer outra distro não iria comprar o 24horas só pelo cd. Para mim bastaria um só leitor chegar a casa meter o cd no pc e descobrir, ver todo um mundo para alem daquele que a sua “Janela” o deixa ver para eu ficar contente!

Importa aqui tirar umas ilações...

1º - O Tux lê um jornal :)

2º - O Tux compra o blarghh 24 horas... puit... tenho que ir lavar a boca... só de pronunciar este nome...

3º - Quem se entretem com os ubuntus e outras distros, não necessita de comprar aquela coisa a que chamaste de jornal, para ficar com mais uma distro...
Vai ao maior hipermercado ( leia-se net ) do mundo e saca. Que não há prazer maior do que um download !!! ( não é tuxezinho ???? )

4º - A maior parte dos utilizadores quer é chegar a casa e ligar o pc e não ter que se preocupar em compilar e perceber porque é que não funciona e outros que tais...
E nisso, temos que dar a mão à palmatória ao gajo para quem 640 K ram deveriam chegar, que teve a visão e engenho de afogar um mercado com o seu produto. Bom ou mau, teve essa arte.

5º - Em vez de uma distro num jornal de sei lá que categoria... deveria ser instituido o linux nas escolas. Aí sim, teríamos os nossos filhos com uma verdadeira formação em informática, com um produto acessível e sem necessidade de acordos da treta para que sejam fornecidos meia dúzia de pc's em troca de uma qualquer acção de formação.

1-Aqui o Tux lê as PRIMEIRAS PÁGINAS de todos os jornais.
2-Aqui o Tux NÃO compra o blarghh 24 horas (nem esse nem outro qualquer)
3-Pois, e tal...
4-E esses mesmos utilizadores passam a vida a chatear os outros porque tem BSODs, vírus por atacado, super lentidão, e não sabem minimamente o que fazer. Por vezes nem formatar sabem.
6-Ves que até sabes umas coisas!

RedTuxer:

O que eu queria dizer com o primeiro ponto é que é provável que no jornal não haja ninguém com capacidade para escrever uma página de jornal sobre como utilizar um live-cd de uma qualquer distribuição linux. Como é óbvio, devem ter lá alguns estagiários que saibam escrever, apenas não sobre este tema.